Instituto Pensar - Campinas: a cidade mais conectada e inteligente do Brasil

Campinas: a cidade mais conectada e inteligente do Brasil

Campinas (SP), administrada por uma gestão socialista, é a cidade mais inteligente e conectada do Brasil. É o que indica o resultado do Ranking Connected Smart Cities 2019, levantamento que mapeia todas as cidades com mais de 50 mil habitantes (666 municípios do País) com o objetivo de definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil. O reconhecimento fortalece a decisão do PSB Nacional de adotar a economia criativa como estratégia de desenvolvimento.

Durante a entrega do prêmio, realizado dia 18 de setembro em São Paulo-SP, o prefeito socialista de Campinas, Jonas Donizette, destacou que a sua gestão elaborou o Plano Plano Estratégico Campinas Cidade Inteligente – PECCI 2019-2029. O documento foi produzido pelo Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Campinas (CMCTI) e adota como conceitos norteadores para uma cidade inteligente a inovação, a resiliência e a sustentabilidade, e coloca as pessoas no centro do desenvolvimento, respeitando os aspectos econômicos, sociais e ambientais, por meio de um planejamento colaborativo e da participação cidadã.

"Não se trata apenas de tecnologia, mas sim em focar nas pessoas e proporcionar a elas uma melhor qualidade de vida e de prestação de serviços.”
Jonas Donizette, prefeito socialista de Campinas (SP)

Donizzette destacou que a gestão socialista prioriza uma estratégia que coordene as diferentes iniciativas em curso no município. Por meio do PECCI e do CMTCI, a prefeitura tem interagido com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para ter acesso a estudos e experiências sobre o processo de transformação digital de cidades. Essa interação, avalia o prefeito, tem permitido avançar de forma mais consistente e rápida para que Campinas se transforme cada vez mais em uma cidade inteligente, humana e sustentável.

Ranking Connected Smart Cities 

Em sua 5ª edição, o Ranking 2019 incorporou conceitos e novos indicadores baseados na ISO 37122 – Sustainable Cities And Communities – Indicators For Smart Cities como referência para comparação e análise de cidades inteligentes no Brasil. Realizado pela Urban Systems, em parceria com a Sator, o resultado é apresentado em quatro frentes: geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional. A lista é composta por indicadores de 11 principais setores: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia.

Depois de Campinas (SP), o ranking traz São Paulo (SP), Curitiba (PR), Brasília (DF) e São Caetano (SP). Na sexta colocação está Santos (SP), seguida por Florianópolis (SC), Vitória (ES), Blumenau (SC) e, na 10ª posição, Jundiaí (SP). Campinas conquistou, ainda, o 1º lugar no Ranking por Faixa Populacional mais de 500 mil habitantes; Ranking Região Sudeste; e nas Categorias Economia e Tecnologia e Inovação.

Por eixo temático, os vencedores foram, em primeiro lugar para Urbanismo, Curitiba (PR); Mobilidade e Acessibilidade, São Paulo (SP); Meio Ambiente, Santos (SP); Empreendedorismo, Rio de Janeiro (RJ); Economia e Tecnologia e Inovação, Campinas (SP); Saúde, Vitória (ES); Educação, São Caetano do Sul (SP); Segurança, Balneário Camboriú (SC); e Governança, Brasília (DF).

Gestão socialista, cidade inteligente

São vários os serviços que fizeram Campinas ser a cidade mais inteligente e conectada do Brasil. Entre eles, o PECCI 2019-2029, cujas diretrizes estão sendo adotadas para nortear a transformação digital do município em uma cidade inteligente, humana e sustentável para os próximos dez anos. Campinas é considerada referência em Tecnologia e Inovação e possui um dos maiores PIBs do país – com crescimento per capta de 1,6%, no último período analisado. Foi destaque do Ranking Connected Smart Cities 2019 nas categorias: Economia e Tecnologia e Inovação (1º lugar); Empreendedorismo (2º); Governança (3º); e Mobilidade (4º).

Confira alguns destaques da gestão socialista de Campinas.

Infraestrutura

  • 5 parques tecnológicos
  • 5 incubadoras
  • 45,7% das conexões de banda larga com velocidade superior a 34mb
  • 30 pontos de acesso a internet por 100 habitantes
  • Campinas Digital, rede de internet grátis via wi-fi da Prefeitura. Atualmente são 40 pontos de acesso de wi-fi livre espalhados pela cidade, com dois milhões de acessos por ano
  • Rede Metro Óptica de Campinas (RMOC), que atende os prédios públicos, como centros de saúde, Paço Municipal e equipamentos de segurança, além das escolas municipais. Atualmente são 200 km de rede de fibra ótica somente para a educação. A previsão é atingir 450 km até o final de 2020.

Serviços

  • Portal Cidadão é uma plataforma na internet que agiliza o atendimento das solicitações de serviços à prefeitura e que tem mais de 77 mil usuários estão cadastrados. Começou a funcionar em 2015 e reúne, em um único lugar, o acesso a mais de 40 serviços oferecidos digitalmente pelo poder público.
  • Colab, serviço on-line voltado ao atendimento da população – como o 156, porém digital. São cerca de 10 mil usuários e o índice de resolutividade é de 75%.
  • A ARI (Aprovação Responsável Imediata), sistema de aprovação rápida de projetos de construção de pequeno porte, facilitou muito a emissão de alvarás. É voltado para residências de até 500 metros quadrados, comércio de até 500 metros quadrados e prédios institucionais (igrejas, clubes, escolas) de pequeno porte. Pela ARI, o proprietário e os responsáveis pelo projeto assumem o compromisso de elaborar e executar a obra conforme leis municipais. Desde a criação, em julho de 2015, até agosto de 2019, foram expedidos 633 alvarás de execução pela ARI, por meios físico e online.
  • Portal do Zoneamento On-Line, criado em 2013, permite que os cidadãos conheçam, de forma clara, acessível e interativa, a lei de uso e ocupação do solo da cidade; quais são as áreas residenciais, comerciais e mistas; as regras de construção e a inscrição municipal dos imóveis (código cartográfico). O zoneamento on-line tem cerca de 30 mil acessos por mês.
  • Via Rápida Empresa, programa do governo do Estado de São Paulo que facilita empresas de baixo risco obter a licença/alvará e emissão de licenças estaduais totalmente on-line e de forma integrada. Com ele, o tempo de abertura de empresas consideradas de baixo risco caiu de 180 dias em média para cinco dias úteis. Foi implantado em janeiro de 2015 pela prefeitura.
  • Busão na Hora, o Cittamobi, aplicativo que possibilita aos usuários do sistemas de transporte público monitorarem percursos de ônibus pelo aplicativo em tempo real contando também com divulgação de informações que orientem estes usuários com relação a atrasos das linhas e o tempo estimado de chegada dos ônibus nos pontos de parada. Existe, também, a versão acessível para pessoas com deficiência visual. A média de acesso, este ano, é 530 mil usuários por mês.
  • Câmeras inteligentes, projeto fruto de parceria, em 2018, com a Huawei e o CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações) para a implantação de um projeto com novas tecnologias. A ferramenta está em funcionamento na região central da cidade e permite reconhecimento facial, entre outras funcionalidades de segurança. São 23 câmeras de alta resolução que ajudam a identificar criminosos procurados e a localizar pessoas desaparecidas. As imagens serão cruzadas em um banco de dados de imagens de pessoas. As novas câmeras também estão sendo usadas para dar suporte à Defesa Civil. Foram instaladas em dez estações meteorológicas automatizadas para alarmes em pontos de inundação, onde sensores informam sobre risco de alagamento, entre outros.
  • Sistema de coleta mecanizada de resíduos começou a ser implantado em 2014. Hoje, conta com cerca de 5 mil unidades em vários bairros.
  • BRT da cidade é a maior obra de mobilidade urbana em execução no país e está prevista para ser finalizada em 2020. Estão sendo investidos R$ 451 milhões e gerados dois mil empregos diretos. Estão sendo construídos 36 quilômetros de corredores ligando a região central aos distritos do Ouro Verde e do Campo Grande. A obra irá beneficiar cerca de 450 mil pessoas. Até agora, um terço foi entregue.

Capacitação

  • Em 2018, Campinas recebeu em bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) o equivalente a R$ 48.646 por 100 mil habitantes.

Mão de Obra

  • Quase ¼ dos empregos formais da cidade são ocupados por profissionais com ensino superior
  • 5,2% dos empregos formais estão em ocupações no setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC)
  • 94,5% dos empregos estão no setor privado
  • 9,4% da força de trabalho está ocupada em ocupações nos setores de educação e pesquisa e desenvolvimento.

Recursos

  • 59% da receita municipal não é oriunda de repasses

Economia

  • Crescimento positivo de 4,9% das empresas de Tecnologia (ao contrário de muitos municípios no período).



0 Comentário:


Nome: Em:
Mensagem: