Instituto Pensar - Autorreforma: José Horta é convidado para live desta quarta (7)

Autorreforma: José Horta é convidado para live desta quarta (7)

por: Iara Vidal 


Nesta quarta-feira (7), √†s 16h, o Instituto Pensar e o Socialismo Criativo, em conjunto com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), promovem a terceira transmiss√£o para debater, no √Ęmbito da Autorreforma do PSB, a "Revolu√ß√£o Brasileira no s√©culo XXI?. A discuss√£o ter√° como refer√™ncia a concep√ß√£o do historiador Caio Prado J√ļnior. Para a live desta semana o convidado ser√° o professor Jos√© Luiz Borges Horta.

Leia tamb√©m: Elias Jabbour: a reindustrializa√ß√£o do Brasil pode passar pela China

Horta ser√° entrevistado pelo presidente do do PSB Nacional, Carlos Siqueira, e pelo presidente do Instituto Pensar, Domingos Leonelli. O debate ser√° mediado pelo companheiro James Lews e ser√° transmitido pelo Facebook do PSB e do Socialismo Criativo. J√° participaram do ciclo de debates o economista Luiz Gonzaga Belluzo e o ge√≥grafo Elias Jabbour.

Currículo de Jorge Horta

Horta tem graduação em Direito, mestrado em Direito Constitucional e doutorado em Filosofia do Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ele é professor associado de Teoria do Estado na Faculdade de Direito da UFMG, membro suplente do Conselho Editorial da Editora universidade e da direção da Sociedade Hegel Brasileira (SHB).

O professor desenvolveu estudos p√≥s-doutorais na Universitat de Barcelona (UB), na Catalunha e foi recebido como professor visitante (2010-2011). Tem experi√™ncia nas √°reas de Teoria e Filosofia do Estado, Hist√≥ria e Filosofia do Direito, Filosofia da Hist√≥ria e Filosofia da Cultura, e lidera dois grupos de pesquisa: o Grupo de Pesquisa dos Semin√°rios Hegelianos (UFMG) e o Grupo internacional de Pesquisa em Cultura, Hist√≥ria e Estado (UFMG-UB).

Autorreforma do PSB e a revolu√ß√£o brasileira

Caio da Silva Prado J√ļnior foi um historiador, ge√≥grafo, escritor, fil√≥sofo e pol√≠tico. Autor do livro "A revolu√ß√£o brasileira?, lan√ßado em 1966, ele iniciou uma tradi√ß√£o historiogr√°fica identificada com o marxismo, buscando uma explica√ß√£o diferenciada da sociedade colonial brasileira.

"A teoria da revolu√ß√£o, para ser algo de efetivamente pr√°tico na condu√ß√£o dos fatos, ser√° simplesmente ? mas n√£o simplisticamente ? a interpreta√ß√£o da conjuntura presente e do processo hist√≥rico de que resulta. Processo esse que na sua proje√ß√£o futura dar√° cabal resposta √†s quest√Ķes pendentes. √Č nisso que consiste fundamentalmente o m√©todo dial√©tico. M√©todo de interpreta√ß√£o, e n√£o receitu√°rio de fatos, dogma, enquadramento da evolu√ß√£o hist√≥rica dentro de esquemas abstratos preestabelecidos.?
Caio da Silva Prado J√ļnior



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: