Instituto Pensar - OMS diz que não há evidência de que mercado de Wuhan foi epicentro da pandemia

OMS diz que não há evidência de que mercado de Wuhan foi epicentro da pandemia

por: Nathalia Bignon 


Mercado de Wuhan, na China ? (Foto: Getty Images)

Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) afirmou, nesta ter√ßa-feira (9), que n√£o h√° informa√ß√£o suficiente para estabelecer que o epicentro da pandemia de Covid-19 tenha sido, de fato, o mercado de frutos do mar de Huanan, local do primeiro grupo conhecido de infec√ß√Ķes na cidade chinesa de Wuhan, e descartou a hip√≥tese de que o v√≠rus tenha "escapado? de um laborat√≥rio. As conclus√Ķes s√£o resultado da visita da comiss√£o comandada pela Organiza√ß√£o para pesquisar a origem do Sars-Cov-2.

Leia tamb√©mEstudo americano aumenta d√ļvidas sobre origem da pandemia da Covid-19

A equipe, que re√ļne cerca de 40 cientistas, chegou em 14 de janeiro √† cidade de Wuhan, onde o coronav√≠rus foi identificado pela primeira vez, no final de 2019. Depois de duas semanas de quarentena, visitou o mercado de peixes, entre outros locais, e reuniu-se com especialistas do Instituto de Virologia de Wuhan, que pesquisa o coronav√≠rus.

De acordo com o presidente da equipe de investiga√ß√£o, o dinamarqu√™s Ben Embarek, a possibilidade de que o mercado de Huanan fosse o epicentro da pandemia surgiu porque os primeiros casos de pneumonia de causa desconhecida estavam relacionados ao local. Pesquisas posteriores, por√©m, mostraram presen√ßa do Sars-Cov-2 em outros mercados e em pessoas sem conex√Ķes com esses locais.

O primeiro contagio relatado no mercado ocorreu em 12 de dezembro de 2019, mas estudos posteriores mostraram casos comprovados em 8 de dezembro, em pacientes sem liga√ß√£o com o local, disse Liang Wannian, chefe do painel de especialistas Covid-19 na Comiss√£o Nacional de Sa√ļde da China.

"Ao tentar entender o cenário em dezembro de 2019, fizemos uma pesquisa profunda e detalhada de casos que podem ter passado despercebidos, antes desse período. E a conclusão é que não encontramos evidências de grandes surtos que possam ser relacionados a casos da Covid-19 em Wuhan ou outro lugar?, disse Embarek.

Descartada a origem do vírus, a comissão segue três linhas para tentar elucidar a origem da pandemia: 1) a transmissão direta de uma espécie animal silvestre para um humano; 2) a introdução do vírus em uma espécie intermediária, mais próxima dos humanos, no qual o patógeno circulou antes de ser transmitido aos homens e 3) a presença do patógeno em alimentos, principalmente congelados.

Transmissão através de um animal

Embarek afirmou que a hip√≥tese mais prov√°vel para o in√≠cio da pandemia √© a da transmiss√£o do v√≠rus atrav√©s de um animal intermedi√°rio. No entanto, o pesquisador admitiu que a teoria precisa de "investiga√ß√Ķes mais espec√≠ficas e precisas?.

O chefe do painel de especialistas chinês, Liang Wannian, também confirmou que a revisão dos dados de mortes por pneumonia, tanto em Wuhan quanto na província de Hubei, de junho a dezembro de 2019, não mostram evidência de transmissão do Sars-Cov-2 na população antes de dezembro.

Leia tamb√©mChina adverte para a ideologiza√ß√£o das decis√Ķes em rela√ß√£o ao coronav√≠rus

Na semana passada, um dos membros da equipe, o especialista em doenças infecciosas Dominic Dwyer, disse que seriam necessários anos para entender completamente as origens da Covid-19.

Com informa√ß√Ķes da Folha de S.Paulo e do jornal O Globo



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: