Instituto Pensar - Por que socialismo criativo, por Domingos Leonelli

Por que socialismo criativo, por Domingos Leonelli

O desenvolvimento das for√ßas produtivas e das rela√ß√Ķes de produ√ß√£o, em qualquer variante te√≥rica, t√™m na tecnologia um ponto de inflex√£o. A revolu√ß√£o tecnol√≥gica dos √ļltimos anos est√° provocando uma nova era onde as rela√ß√Ķes econ√īmicas est√£o sofrendo profundas transforma√ß√Ķes.
Se nos √ļltimos cem anos o capitalismo demonstrou sua criatividade criando produtos de valor universal, exportando cultura e at√© mesmo modos de vida, o socialismo supostamente seu suced√Ęneo hist√≥rico precisar√° demonstrar um potencial criativo pelo menos igual. Ou quedar√° vencido como o socialismo sovi√©tico que se revelou incapaz de criar marcas e produtos aptos a disputar com os produtos do capitalismo, especialmente na √°rea da economia criativa, intensivas em design.
Em outras palavras o capitalismo moderno só será efetivamente superado por um socialismo criativo.
Essa perspectiva de m√©dio e longo prazo j√° consta da pauta da sociedade socialista mais avan√ßada do mundo, a China, que tem como objetivo substituir a marca o ¬ďMade in China¬Ē para ostentar o ¬ďDesign in China¬Ē.
E se a criatividade já foi incorporada estrategicamente no planejamento das sociedades socialistas, deverá ser incorporada como um novo valor na agenda dos partidos que lutam pelo socialismo democrático no mundo. Especialmente nos países emergentes e desenvolvidos, onde as forças produtivas já alcançaram um certo grau de desenvolvimento.
O socialismo criativo, não inclui apenas a economia criativa, mas a inovação no seu sentido mais amplo, a sustentabilidade ambiental, o empreendedorismo como uma das novas formas de organização de trabalho e as novas formas e metodologias de organização social.
Se a criatividade capitalista tem como objetivos principais a ampliação do mercado e do lucro, a criatividade socialista deve ter como objetivos a ampliação dos espaços de liberdade na sociedade e o bem estar das pessoas.
O capitalismo v√™ a evolu√ß√£o tecnol√≥gica apenas como forma de aumentar os seus lucros, pouco se importando com o que ficou para tr√°s das formas de produ√ß√£o superadas pela tecnologia. J√° a luta dos socialistas dever√° levar em conta que √© preciso recolocar e requalificar trabalhadores cujo trabalho foi superado pelas novas formas de produ√ß√£o. Para os socialistas, √© preciso, por exemplo, pensar criativamente em como recolocar no mercado de trabalho os taxistas substitu√≠dos pelo UBER e futuramente pelos carros rob√īs, sem motoristas. O mesmo para os trabalhadores das f√°bricas substitu√≠das por rob√īs.
Sem deixar de apostar e investir na inovação, muito menos tentar impedir os avanços tecnológicos, a criatividade socialista será utilizada para inovar socialmente na ampliação dos espaços de trabalho, dos trabalhadores e dos empreendedores. Ampliar, também, os serviços do terceiro setor onde o Estado e as empresas não estão presentes.
Em um raciocínio simples e esquemático, se o capitalismo criativo está voltado para atender o lucro das empresas, o socialismo criativo deverá voltar-se para o bem estar social e a valorização do trabalho, inclusive o trabalho criativo.
O capitalismo tem na força de inovação tecnológica e no desenvolvimento da economia criativa um modo de reproduzir-se e perpetuar-se. O socialismo criativo tem nessa mesma força, uma forma de alcançar uma sociedade socialista onde os meios de produção sejam de propriedade social e o trabalho libertado da exploração.
Ou seja, o socialismo criativo deverá se constituir na dimensão humana do desenvolvimento das forças produtivas e da revolução tecnológica.
Assim os socialistas modernos veem a economia criativa n√£o apenas como o conjunto das atividades nas quais o talento humano √© a principal mat√©ria prima, mas tamb√©m como estrat√©gia de desenvolvimento, a orientar pol√≠ticas p√ļblicas de incentivos e apoiar a inova√ß√£o tecnol√≥gica e a cultura, componentes b√°sicos da referida economia. Nas sociedades ainda capitalistas e nas futuras sociedades socialistas.
 
Autor: Domingos Leonelli, ex-deputado federal, ex-secretário de Turismo da Bahia e membro do Diretório Nacional do PSB
Fonte: psb40.org.br



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: