Instituto Pensar - ?Empobrecimento da campanha municipal?, diz Lídice sobre frieza na corrida eleitoral

?Empobrecimento da campanha municipal?, diz Lídice sobre frieza na corrida eleitoral

por: Igor Tarcízio 


Nesta segunda-feira (9), a deputada federal Lídice da Mata (PSB) disse ao bahia.ba que a campanha eleitoral para a prefeitura de Salvador foi, até o momento, "muito fria". Segundo ela, que diz estar acostumada a debates, a campanha deste ano deixou muito a desejar.

A declaração ocorreu durante assinatura da ordem de serviço para início das obras de construção da nova rodoviária de Salvador, pelo governador Rui Costa (PT).

"Essa campanha é uma campanha fria, muito fria. Eu estou acostumada a uma campanha de debate. Infelizmente, houve uma generalização e acomodação de nossas políticas a essa ideia de que não poderia ter debate televisivo. Isso é um absurdo. Os grandes meios de comunicação tinham condições, sim, de investir em fazer debates com a garantia da segurança dos candidatos, dando ao eleitor o direito de conhecer as opiniões de seus candidatos. Todos sabem que não é em programa eleitoral de televisão que se conhecem as ideias do candidato?, declarou a deputada, que disse ainda que o Brasil está empobrecendo as campanhas eleitorais municipais, dando importância apenas à eleição de governador e presidente.

A deputada também reclamou da falta de atenção às eleições municipais. "É um empobrecimento da campanha municipal que estamos vivendo hoje. É a demonstração de como o Brasil não entende como é importante as eleições municipais. Só se dá valor aqui às eleições de governador e presidente. É lamentável?, disse.

Projeto de resistência

Apesar de tudo, Lídice disse estar confiante no avanço da candidatura da Major Denice e Fabíola Mansur ao segundo turno das eleições. Segundo ela, a candidatura de duas mulheres significa "um projeto de resistência? no mundo.

"Confiante de que elas têm condições de passar para o segundo turno e principalmente com a certeza de que a dupla Fabíola e Denice significam um projeto de resistência e de avanço dessa ideia de que as mulheres vieram para demonstrar uma nova forma de governar o mundo. A novidade no mundo em termos de gestão é a incorporação das mulheres competentes, capazes e dinâmicas. Então, quando Salvador reafirma apenas o velho caminho da repetição de mais um homem governando, com métodos do passado. Não desmereço nenhum candidato, mas digo que há uma mudança de valor, de critérios e de referência no mundo. E que Salvador tenha a chance, já que está recebendo tanto investimento, para embarcar na onda real da democracia no mundo?, afirmou Lídice, ao citar a ascensão de mulheres estadistas pelo mundo, a exemplo de Kamala Harris, nos EUA e Angela Merkel, na Alemanha.

Com informações do jornal Bahia BA



0 Comentário:


Nome: Em:
Mensagem: