Instituto Pensar - Mourão confunde ação militar e civil, diz ex-diretor do Inpe

Mourão confunde ação militar e civil, diz ex-diretor do Inpe

por: Eduardo Pinheiro 


Foto: Isac Nóbrega/PR

Ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galv√£o disse nesta ter√ßa-feira (22) que o vice-presidente Hamilton Mour√£o "embaralha? a√ß√Ķes militares e civis ao propor uma ag√™ncia para centralizar o sistema de monitoramento da Amaz√īnia. Galv√£o foi exonerado do cargo em 2019, ap√≥s embate com o presidente Jair Bolsonaro.

As declara√ß√Ķes ocorreram enquanto participava do segundo dia de audi√™ncia para discutir o Fundo Nacional sobre Mudan√ßa do Clima. O evento, organizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), se d√° no √Ęmbito da ADPF (Argui√ß√£o de Descumprimento de Preceito Fundamental) 708, ingressada por partidos de esquerda.

No primeiro dia, participaram o presidente da C√Ęmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ministros, como Augusto Heleno (Gabinete de Seguran√ßa Institucional), Marcos Pontes (Ci√™ncia, Tecnologia e Inova√ß√£o), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Tereza Cristina (Agricultura), al√©m de diretores de √≥rg√£os ambientais, de organismos multilaterais e representantes da sociedade civil.

Ag√™ncia √ļnica de monitoramento

O vice-presidente, que vem defendendo publicamente a criação de uma agência que concentre os sistemas de monitoramento por satélite, tem como inspiração o órgão norte-americano NRO (Escritório Nacional de Reconhecimento, na sigla em inglês), sob controle militar.

"Ao propor que a nova ag√™ncia seguiria o modelo da ag√™ncia nacional americana, NRO, o governo est√° claramente indicando a intui√ß√£o de controlar as atividades de observa√ß√£o da terra sob a √≥tica das aplica√ß√Ķes militares?, afirmou Galv√£o

O ex-diretor do Inpe ainda ressaltou que a legislação americana proíbe que o NRO e outras agências atuem dentro do território americano. O monitoramento ambiental é feito apenas por institutos civis.

"Portanto, em sua proposta, o vice-presidente est√° transmitindo uma ideia confusa do que seja monitoramento da Amaz√īnia, embaralhando a√ß√Ķes militares com civis?, afirmou.

Al√©m disso, Galv√£o afirmou que a centraliza√ß√£o do sistema de monitoramento em um √≥rg√£o dentro da hierarquia militar iria afetar a credibilidade internacional dos dados. 

Críticas ao ministro Marcos Pontes

O ex-diretor tamb√©m criticou o ministro Marcos Pontes por n√£o ter defendido o Inpe dos ataques contra a sua credibilidade. Recentemente, Mour√£o afirmou que algum servidor dentro do √≥rg√£o divulgaria dados negativos para prejudicar o governo.

"Infelizmente, em sua manifestação o ministro Marcos Pontes, apesar de corretamente mencionar que os dados do instituto são auditados e transparentes, evitou contestar as críticas de forma mais veemente apresentando um cenário rosado para o instituto?, disse.

Com informa√ß√Ķes da Folha de S. Paulo



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: