Instituto Pensar - O mercado de trabalho est√° mudando!

O mercado de trabalho est√° mudando!

Nunca ouvimos falar tanto que √© poss√≠vel trabalhar com o que amamos. Sim, √© poss√≠vel. Mas s√≥ amor n√£o entrega resultados. Muitas pessoas t√™m ideias geniais e querem criar, por exemplo, uma startup bilion√°ria ao se levantar da cama, mas esquecem que s√≥ a ideia n√£o √© suficiente. O momento econ√īmico conturbado tem deixado a vida das pessoas mais dif√≠cil. Muita gente est√° perdendo tempo reclamando, sem enxergar as oportunidades do momento.

Empresas como o Google, AirBnb e Netflix est√£o nos for√ßando a um novo comportamento e sinalizando que muitas outras mudan√ßas radicais est√£o por vir. As pessoas precisam estar atentas a essas mudan√ßas e, tamb√©m, entender que devem se preparar para elas. N√£o basta ser usu√°rio de aplicativos ou consumidor de novas solu√ß√Ķes. Estou falando de se reinventar como profissional, estando preparado para um mercado de trabalho alternativo e pulsante. Se o mundo est√° mudando, por que a grande maioria das pessoas continuam desenhando seu perfil profissional da mesma forma?

√Č impressionante como muita gente s√≥ enxerga possibilidade na velha e obsoleta CLT. At√© quando o mercado ir√° conseguir arcar com essa rela√ß√£o trabalhista onerosa de um sistema falido e engessado? O empreendedorismo se coloca como grande op√ß√£o para um novo desenho de rela√ß√Ķes de trabalho, onde regras mais flex√≠veis s√£o aceitas. N√£o √© cumprir hor√°rio que importa, mas sim agregar valor e entregar resultados. E tamb√©m por que n√£o trabalhar em casa em seu home office ou em espa√ßos compartilhados? √Č preciso pensar em aliviar a estrutura das empresas e deix√°-las mais competitivas.

Antigamente, o profissional passava uma vida inteira dentro da mesma empresa. Nos √ļltimos tempos, eles viraram especialistas e tinham v√°rios empregos na mesma √°rea. Agora, viveremos um per√≠odo de v√°rias profiss√Ķes na mesma vida. O mercado precisa de profissionais polivalentes e mutantes, que acompanham o movimento da economia. Voc√™ pode trabalhar com o que gosta, mas precisa ter um diferencial. Mesmo em tempos de crise, as pessoas t√™m acesso ao consumo. Com isso a personaliza√ß√£o, a exclusividade e o valor agregado tem sido uma solicita√ß√£o recorrente dos consumidores. √Č preciso criar identidade profissional, ter uma linguagem pr√≥pria e entregar o que os outros n√£o entregam. √Č preciso enxergar vertentes alternativas e criativas na mesma √°rea de atua√ß√£o.

Planejamento longo pode ser um tiro no p√©. N√£o d√° para perder meses ou anos desenhando uma solu√ß√£o que talvez o mercado n√£o queira comprar. Com as redes sociais, nunca estivemos t√£o pr√≥ximos dos nossos clientes. √Č vital entender as necessidades e propor solu√ß√Ķes com foco nelas. √Č preciso se preparar para entregar mais do que se espera, e para isso √© preciso forma√ß√£o. Por√©m, o modelo de ensino deve ser outro, com aprendizado constante e foco pr√°tico. N√£o √© aceit√°vel que um o futuro profissional fique anos sentado na cadeira de uma faculdade para chegar ao final e se perguntar como exercer sua profiss√£o. √Č inadmiss√≠vel pensar em uma forma√ß√£o te√≥rica no qual o aluno tem papel receptivo. O profissional precisa ser constru√≠do agindo ativamente durante sua forma√ß√£o, vivendo a profiss√£o e criando um olhar m√ļltiplo.

As novas tecnologias t√™m trazido facilidades. Inevitavelmente a robotiza√ß√£o substituir√° muitas atividades hoje desenvolvidas pelo homem. Precisamos repensar nossos papeis como profissionais. S√≥ aquilo que √© prazeroso e que depende do talento caber√° ao ser humano. Estamos chegando em um tempo onde a Economia Criativa aparece em destaque, pois o que realmente vale √© o intang√≠vel proporcionado pelo capital intelectual. Da mesma forma, ganham for√ßas as economias colaborativa e compartilhada que estabelecem uma rela√ß√£o de ¬ďganha-ganha¬Ē, abrindo canais para uma nova forma de pensar onde o ser √© mais valioso que o ter.

Sim, novos tempos que exigem novos comportamentos. √Č hora de se reinventar como o profissional e garantir seu espa√ßo no mercado.

*Ronaldo Cavalheri √© Engenheiro Civil e Diretor Geral do Centro Europeu ¬Ė escola pioneira em Economia Criativa no Brasil.



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: