Instituto Pensar - Economia Criativa pode ser solução para a crise, apontam especialistas

Economia Criativa pode ser solução para a crise, apontam especialistas

A Economia Criativa pode ser o caminho mais curto para o Brasil sair da crise. A avalia√ß√£o foi un√Ęnime entre os especialistas que participaram neste s√°bado do semin√°rio FeiraCriativa.com, em Feira de Santana, a 108km de Salvador.


O evento organizado pelo Instituto Pensar e Funda√ß√£o Jo√£o Mangabeira reuniu cerca de 400 pessoas, entre acad√™micos, pesquisadores, especialistas em start ups e estudantes, no Teatro da C√Ęmara de Dirigentes Lojistas da cidade.


O debate sobre o desenvolvimento econ√īmico de Feira de Santana, segundo principal munic√≠pio da Bahia, dotado de grande parque industrial e log√≠stico, tamb√©m foi objeto de discuss√£o.


Para Renato Casagrande, ex-governador do Esp√≠rito Santo e presidente da Funda√ß√£o Jo√£o Mangabeira, pensar a economia criativa √© fundamental neste momento em que o Brasil  atravessa "uma profunda crise  econ√īmica, √©tica e pol√≠tica" e que √© preciso "estabelecer as condi√ß√Ķes necess√°rias para um desenvolvimento sustent√°vel do pa√≠s". Casa Grande tamb√©m enfatizou que o Brasil precisa ser um grande produtor de commodities e aliar esse potencial √† economia do conhecimento.


O presidente do Instituto Pensar, Domingos Leonelli, lembra que os empregos gerados na economia criativa são mais baratos, o que pode ser uma solução rápida para o momento no país, que vive uma crise financeira.


Painéis - O debate teve como uma das principais expoentes a doutora em urbanismo pela Universidade de São Paulo (USP) e consultora da ONU, Ana Carla Fonseca, que apresentou um estudo intitulado Cidades Criativas feito por ela, juntamente com especialistas de 12 países, em que percebeu-se que a primeira marca de uma cidade criativa é a inovação. Ela exemplificou a produção de telhas solares em uma cidade italiana como uma proposta ligada a arquitetura e reiterou que "é preciso engajar o cidadão na proposta de transformação da cidade porque a criativa não é as cidades e, sim, as pessoas".


O vice-reitor da UFBA e mestre em cultura contempor√Ęnea,  Paulo Miguez, fez um hist√≥rico da economia criativa e suas rela√ß√Ķes com a economia da cultura no s√©culo XX.


O semin√°rio Feira Cidade Criativa.Com tamb√©m debateu os novos modelos de urbaniza√ß√£o social e econ√īmica,  trazendo experi√™ncias mundiais inovadoras, e teve a apresenta√ß√£o do Case "A hist√≥ria do melhor aplicativo social do mundo -ONU 2013", pelo especialista Ronaldo Ten√≥rio.


A senadora L√≠dice da Mata ressaltou o tema e disse que a Economia Criativa est√° presente no planejamento estrat√©gico do PSB, que pretende inclui-lo nos programas de governo dos candidatos que disputar√£o as elei√ß√Ķes municipais em 2016 pelo partido em todo o Brasil.



0 Coment√°rio:


Nome: Em:
Mensagem: